Poços de Caldas: roteiro completo para você se surpreender


Viagem a dois? Sim! Em família também pode. Poços de Caldas surpreendem visitantes de todos os cantos, desde aqueles que podem esbanjar hospedando-se em hotéis SPA até aqueles que estão buscando passeios memoráveis e podem gastar pouco.
Iremos publicar várias dicas sobre essa cidade, nossa experiência com hotéis, passeios, locais para se comprar doces e queijos economizando e muito mais.

O segredo de toda boa viagem é o planejamento e se quiser economizar, ele é essencial para que não tenha muitas surpresas e possa aproveitar ao máximo do que gostaria de conhecer.

Pertinho de Poços de Caldas temos uma cidade pequenininha que se chama Águas da Prata, aqueles que acessam Poços de Caldas pela Rodovia dos Bandeirantes (sentido Mogi Mirim) basicamente precisam atravessar essa cidadezinha ao meio. Se não tiver pressa, vale a pena dar uma paradinha do centrinho para fotos lindas, 1 hora de parada é o suficiente, a época favorita para fotos é a primavera quando as flores dão o ar de sua graça, no entanto, a cidade minúscula tem seus encantos em qualquer época do ano.

Aqueles que podem dar-se ao luxo de um roteiro com mais dias de viagem, podem conhecer mais a cidade, ela possui cachoeiras maravilhosas e pelo menos 10 fontes que fornecem águas medicinais.

Facilitando o planejamento do roteiro da viagem, o ideal é ser prático e buscar organizar por rotas e tudo que está próximo a ela.

Seguindo para Poços de Caldas, logo na entrada, vemos uma enorme represa localizada no bairro Bortolan. Nessa represa você pode fazer passeio de pedalinho e escuna por R$ 20,00 por pessoa. Saindo da represa, logo à direita, encontrará placas para uma cachoeira que se chama Véu da Noiva. Nesse complexo você pode olhar as lojinhas, fazer o passeio de trenzinho (com crianças) e ainda garantir fotos lindas a sós ou em família em frente à cachoeira. Em épocas de chuva ela fica maravilhosa, a queda d´água realmente parece um véu, e em épocas mais secas ela é apenas uma cachoeira, mais ainda assim, vale a pena ver, pois o passeio é bem agradável. Atravessando a avenida há várias lojinhas de doces e queijos, prove de tudo e se segure para não comprar nada por enquanto.

A caminho do centro temos outras paradas que podem ser feitas, tudo depende da configuração de passeio que pretende fazer, perfil do grupo ou casal, por isso mais uma vez, planeje seu roteiro. A cervejaria artesanal Gonçalves fica a caminho do centro, porém, abre em horários em que a cidade tem mais movimento, normalmente para o almoço ou a noite mesmo, consulte antes de ir.

A avenida principal te levará diretamente para o centro, encontrará plaquinhas com indicações para o Teleférico, Cristo Redentor e muito mais, esses são todos pontos turísticos imperdíveis e para não se perder, melhor começar daí sua “rota turística”.

Fui com um grande grupo familiar, tínhamos 12 pessoas de idades diferentes e daí é que complica encontrar algo que agrade a todos. Desta forma, planejei primeiro visitar a loja de fábrica de doces Tatitânia, pois ela fica afastada do centro e de verdade os doces são até 50% mais baratos do que na cidade. Minha intenção era refazer meu estoque de doces mineiros únicos (que amo) e trazer lembrancinhas para a galera que não pôde ir na viagem. Os doces variam de R$ 4,00 a R$ 13,00 e sinceramente não docinhos pequenos, são aquelas compotas maravilhosas de doce de leite puro e ingredientes nobres. São diversas opções que vão de um doce de leite comum a compotas zero açúcar. Sim! Aqueles que têm restrições alimentares ou que apenas querem algo mais diet sem abrir mão de sabor também tem muitas opções por lá e cá entre nós poder encontrar variedade de doces zero e diet com muita qualidade realmente é raro. Se for tudo no mesmo lugar é mais raro ainda. Existe uma linha gourmet que conta com fios de ovos, goiabada cascão, doce de abóbora com coco (doce premiado e zero açúcar), cocadas cremosas e entre outros.

Lógico que não poderia comprar um bom doce sem um “queijin”, “uai!”. Voltando da fábrica de doces eu fiz uma parada no Mercadão Municipal, e então você se perde mesmo no lugar. São dezenas de opções de queijos, salames, bebidas, pães, mais doces e muitos produtos locais. Particularmente prefiro comprar aqui os queijos e embutidos, pois os produtos chegam a ser 40% mais baratos que na cidade e se você pretende levar pelo menos uma peça de queijo para alguém e para seu próprio consumo você consegue negociar o valor. A minha primeira viagem para Poços de Caldas foi uma loucura e logo nas primeiras lojinhas espalhadas pela cidade eu gastei muito comprando queijos de R$ 35,00/peça e achei que estava arrasando. Encontrei os mesmos queijos nesse mercadão por R$ 15,00 e R$ 20,00/peça. Quem mandou ser ansioso, não é?! Tudo bem, pois aprendi a lição. Queijo fresco também são em media 3 peças grandes por R$ 10,00. Salaminho de picanha eu paguei R$ 18,00 de sabores sortidos. Levei minha bolsa térmica para garantir tudo bem fresquinho, assim não precisei retornar ao hotel para guardar tudo.

Saindo do mercadão, segui para a o Recanto Japonês. Que lugar! Fui durante a semana, então consegui desfrutar de um silêncio maravilhoso. Vi muitos macaquinhos por lá, se estiver com alguma banana então, eles chegam a vir te pedir um pedaço entendendo as mãozinhas e obvio que fiquei sem meu lanche da manhã. Ofereci um pedacinho da minha banana ao macaquinho e ele logo retornou pedindo o restante. Aluguei uma roupa típica por R$ 5,00 e me diverti tirando fotos.
Parti do Recanto Japonês e segui para a direita atrás da Fonte dos Amores. Imaginava que veria algo apaixonante, porém me deparei com uma mini cachoeira envolta a uma grade e uma estátua de amantes. Triste! Me encantei mais com os macacos que novamente estavam pedindo comida aos turistas, só os achei bem mais agressivos. Não entendo de macacos, mas parecia até que existia uma rixa entre gangues de macacos por lá, eles brigaram e fizeram muito barulho, jogaram coisas uns nos outros e chegaram muito mais perto das pessoas. A vantagem foi poder tomar água fresca direto da fonte. Quem se arrisca a caminhar e não tem medo de queimar calorias, a trilha para o Cristo começa aqui.

Saindo dali fui assistir o por do sol da Pedra Balão. A estrada é ruim, não adianta reclamar e querer acelerar, suba devagar, não force seu carro e atenção, muitos trechos dessa subida não cabem 2 carros e há muitos buracos na estrada. Quem gosta de esportes radicais o local conta com diversas trilhas, voos de paraglider, tirolesa e outras opções. Subir na pedra para mim já foi bem radical =). A vista é linda, consegui fotos muito boas e vi muitas corujas em suas tocas nas pedras. Lindo!
Voltei para o hotel e ainda consegui aproveitar a piscina. Outubro é um mês quente, bateu 37ºC e eu estava cozinhando. Apaguei e me programei para acordar as 7h no dia seguinte, pois queria seguir para os outros passeios cedo, antes de torrar no sol.

Acordei cedinho, tomei café no hotel mesmo o que me ajudou com o grupo, pois acordar cedo e não ter nem o café da manhã onde estiver hospedado demanda mais tempo, ainda mais se o grupo for grande. Partimos para conhecer o Cristo Redentor e o centrinho da cidade.

Chegando ao centrinho, deixamos o carro em um tipo de zona azul da cidade e fomos a pé. Passeamos de trenzinho, custou R$ 4,00 por pessoa e ele saiu da pracinha do coreto e deu uma voltinha na cidade explicando algumas curiosidades locais.
Ali perto, contornando o hotel (ponto final do trenzinho), fomos ao teleférico para chegar até o Cristo Redentor. Esse eu achei caro, a inteira R$ 25,00 ida e volta e minha carteirinha de estudante não foi aceita, mesmo com o selo de data de validade colado eles me pediram o atestado de matrícula impresso (obvio que não levei). Gostei bastante, consegui ver a cidade inteira lá do alto e achei organizado o sistema.

Saímos do teleférico e um senhor nos abordou oferecendo passeio de charrete confortável e que faria paradas em lojinhas de fábrica de sabonetes, chocolates, cristais e malharias. O grupo que eu estava queria muito poupar os pés e estava um calor de rachar, assim, resolvemos fechar o passeio. Andamos uns 5 minutos para chegar até as charretes e assim partimos. Conforto nem tanto (principalmente quando os cavalos começaram a defecar), mas essa é a vida no interior e resolvi entrar no ritmo da viagem. Paramos na loja de fábrica Antares, gostei muito e me arrependi de não ter comprado mais produtos, são todos feitos com água sulfurosa das fontes e funcionam mesmo. Passamos por uma malharia que eu achei cara, mas é malha de qualidade e o valor não é injusto. Fomos também a uma lojinha de queijos e doces e produto local e sai com um vidro de palmito pupunha de 1,8kg líquidos, paguei R$ 30,00. Seguimos para uma lojinha de cristais artesanais e achei muito fofo, logo entrei no Google e pesquisei sobre o assunto e vi que por lá havia lojas fábrica de cristais também e me segurei para não gastar mais dinheiro, poupei para essa tal fábrica. Em frente as charretes está o Relógio Flora, ponto obrigatório para tirar fotos.

Pegamos o carro e fomos em direção a represa Bortolan, no caminho eu sabia que encontraria uma placa a direita indicando uma fazenda e que perto dela havia uma antiga usina. Li blogs indicando essa usina como ponto turístico conhecido como Cascata das Antas. Peguei a entrada indicando Fazenda do Osório (comentarei a seguir), chegando nessa fazenda havia uma placa gigante “Restaurante” (que fica à esquerda) passei reto estrategicamente e peguei minha direita e no topo da subida a esquerda, sai em uma estradinha e dirigi até chegar nessa usina. Vi uma família de capivaras na Cascata das Antas, li sobre o local e achei interessante. Retornei para a Fazenda do Osório, pois como é um restaurante, logo imaginei que depois de alimentar minha tropa, eles sequer teriam forças para caminhar.

A Fazenda do Osório foi indicação de um primo meu e eu amei. Tudo é carinhosamente preparado rusticamente, fica tudo bem quentinho acima do fogão a lenha, os produtos utilizados são em grande parte cultivados na própria fazenda. Não há sequer sinal de Wi-fi, ambiente de fazenda mesmo, as mesas são enormes e comportam uma família inteira. Me senti na roça…kkk e o sabor é bem natural mesmo. Me acabei na pururuca, farofa, bolinho de legumes e galinhada. Vi muitos motoqueiros parando por lá, aqueles com motos iradas e que fazem parte daqueles clubes. Ao final do almoço eu logo vi que teria que retornar ao hotel, sequer conseguia levantar da cadeira e estava caindo de sono. O atendimento é excelente e bem humorado, nos indicaram caminhar um pouco e apanhar frutas pela fazenda para ajudar na digestão… KKKK, logo fomos nessa parte de colha e a pague. Jesus! As frutas orgânicas são enormes, as jabuticabas pareciam bolinhas de golfe e estavam docinhas. O dia acabou por ali, retornamos ao hotel e fomos todos dormir um pouco.

Passeando em Poços de Caldas não podemos dispensar uma passadinha em uma das casas de banho da cidade. Resolvemos ir ao Balneário que fica na Praça da Fonte dos Macacos, outro ponto turístico. O guia do trenzinho nos explicou que a praça tem esse nome, pois como por lá nos meses frios faz muito frio mesmo, os macaquinhos que ficaram nos topos dos morros morriam de frio e pela cidade ter águas vulcânicas a uma temperatura bem agradável, eles desciam os morros e se reuniam para ficar nas águas quentinhas e por isso, Fonte dos Macacos. O banho individual custou R$ 20,00 por pessoa por 30 minutos e levamos toalha. A água vulcânica (sulfurosa) é um pouco estranha, temperatura agradável, o cheiro é peculiar e deixa uma textura curiosa na pela. Vale a experiência, muito relaxante.

Quem está em grupo grande, vimos que compensa ir ao Thermas Antonio Carlos, aquele que apareceu como hospital na novela da Globo. O lugar realmente é lindo e os tratamentos sensacionais: há os banhos de ofurô que custam R$ 120,00 por mais tempo que no Balneário, porém você pode dividi-lo com mais 3 pessoas pelo mesmo preço. Há massagens, tratamentos faciais e corporais. Se o objetivo da viagem for relaxar a sós ou a dois, vá. Eu passaria um dia inteiro lá. Leve roupa de banho e toalha, pois só o aluguel da toalha é R$ 10,00.

Aqueles que dispõem de tempo livre, visitem as cidades vizinhas. Andradas fica pertinho e tem lá seus encantos. Minha amiga me indicou visitar a Casa Geraldo que fica em Andradas, degustei vinhos e outras bebidas e almocei por lá mesmo. O lugar é maravilhoso, fica no meio de parreiras e é um cenário de tirar o fôlego. Paguei R$ 60 por pessoa mais bebida, caro, mas o Buffet é livre e conta até com presunto curado espanhol, palmitos e pratos gourmet, um restaurante requintado e impecável na apresentação e atendimento.

A caminho de Andradas um morador de Poços me indicou uma fábrica de biscoitos. Lá fomos nós em busca da fabrica de biscoitos Delícias da Kaká. Valeu a dica e o passeio de carro. Os proprietários nos receberam e fizeram questão de nos apresentar cada biscoito para podermos ter certeza de quais levar. A hospitalidade é excelente, saboreamos até um cafezinho com os biscoitos. A família toda trabalha na fabricação e os sabores são sensacionais. Derretem na boca e sinceramente não havia provado nenhum biscoito fino aromatizado com vinho. Resultado, sai com 7kg de biscoito, meus mais com mais 5kg e a vontade era de levar mais. Eles fornecem para festas, casamentos, hotéis e aceitam encomendas para entregar em SP. O sistema é simples, você tem opção de pacotes prontos, já embalados com alguns tipos de biscoitos, mas o legal é que eles pesam e embalam na hora os que você escolher. Sensacional! Nota 10 e recomendo.

 

Fizemos um vídeo sobre o hotel que ficamos e você pode conferir no canal do VIajaTerapia no Youtube:


SERVIÇO

Confira opções de Hotéis em Poços de Caldas pelo Booking

ATRAÇÕES, PASSEIOS E COMPRAS

  • Cascata das Antas e antiga usina – Av. Sílvio Monteiro dos Santos s/n
  • Balneário Dr. Mário Mourão – Praça Dom Pedro II, s/n – Centro / Tel (35) 3697-2316 das 7h as 18h R$ 20,00 (levar toalha)
  • Cachoeira e Parque Véu das Noivas – Av João Pinheiro – Pq Veu das Noivas
  • Gonçalves Cervejaria Artesanal – Av. Mansur Fraiha, 647 – Jardim Elizabete / Tel: (35) 3714-2627 / sáb. 09h–20h / dom. 10h–13h
  • Fábrica de doces Talitânia – Cam 1, 112 Etn / Tel: (35) 3713-3475 -Levar dinheiro ou cheque, não aceita cartão
  • Recanto Japonês – Rua Amapá, Jd dos Estados – 8h as 17h30
  • Fonte dos Amores – Praça das Rosas – Centro
  • Cristais São Marcos – Av. Silvio Monteiro dos Santos, 3600 – Jardim America / Tel: (35) 3697-1892 / Todos os dias das 8h as 18h
  • Cristais Cá d’Oro – Rua Sao Jose 29 (fazer o tour pela fabrica)

RESTAURANTES IMPERDÍVEIS

  • Costela na Brasa – R. Antônio Togni, 2022 Jd Planalto
  • Bar e Restaurante Uai de Minas – Rua Parana, 15 – Centro (CALDOS) – Média de R$20,00 por pessoa
  • Delícias da Kaka – R. Benedito Souza Franco, 311, Andradas – MG. (35) 3731-1737

 

Confira tudo que já foi publicado sobre Minas Gerais clicando aqui.

 

PLANEJE E RESOLVA SUA VIAGEM ONLINE COM OS MELHORES DESCONTOS

Comentários

Sobre Daniela Araujo Santos

Meu nome é Daniela - mas a maioria me chama de Dani - sou formada em administração e resolvi encarar o desafio de além de conquistar uma segunda profissão, ser especialista na língua inglesa. Sou apaixonada por livros, séries, filmes e meu hobby é cozinhar. Amo aprender sobre novas culturas e tenho o sonho de viajar pelo mundo, testar receitas de diversos países e juntar tudo o que tiver de experiências para repassar para o maior número de pessoas possíveis. Acredito que tudo o que aprendemos nessa vida não serve de nada se não é compartilhado: conhecimento e cultura são coisas que quanto mais compartilhamos mais recebemos de volta. Por isso, também sou professora bilíngue na educação infantil. Loucura? Um pouco, mas amo tudo o que faço.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.